Mais Música!

domingo, 25 de maio de 2008

Atividade de Inclusão - Deficientes Visuais


Artigo

Recursos didáticos na educação especial
Jonir Bechara Cerqueira
Elise de Melo Borba Ferreira

Resumo
Os materiais didáticos são de fundamental importância para a educação de deficientes visuais. Este texto pretende definir, classificar e ilustrar alguns destes materiais, além de apresentar recursos disponíveis a partir da utilização de equipamentos de informática.
Talvez em nenhuma outra forma de educação os recursos didáticos assumam tanta importância como na educação especial de pessoas deficientes visuais, levando-se em conta que:

1) um dos problemas básicos do deficiente visual, em especial o cego, é a dificuldade de contato com o ambiente físico;
2) a carência de material adequado pode conduzir a aprendizagem da criança deficiente visual a um mero verbalismo, desvinculado da realidade;
3) a formação de conceitos depende do íntimo contato da criança com as coisas do mundo;
4) tal como a criança de visão normal, a deficiente visual necessita de motivação para a aprendizagem;
5) alguns recursos podem suprir lacunas na aquisição de informações pela criança deficiente visual;
6) o manuseio de diferentes materiais possibilita o treinamento da percepção tátil, facilitando a discriminação de detalhes e suscitando a realização de movimentos delicados com os dedos.

Definição
Recursos didáticos são todos os recursos físicos, utilizados com maior ou menor freqüência em todas as disciplinas, áreas de estudo ou atividades, sejam quais forem as técnicas ou métodos empregados, visando auxiliar o educando a realizar sua aprendizagem mais eficientemente, constituindo-se num meio para facilitar, incentivar ou possibilitar o processo ensino-aprendizagem. De um modo genérico, os recursos didáticos podem ser classificados como:


Naturais: elementos de existência real na natureza, como água, pedra, animais.
Pedagógicos: quadro, flanelógrafo, cartaz, gravura, álbum seriado, slide, maqueta.
Tecnológicos: rádio, toca-discos, gravador, televisão, vídeo cassete, computador, ensino programado, laboratório de línguas.
Culturais: biblioteca pública, museu, exposições.


O bom aproveitamento dos recursos didáticos está condicionado aos seguintes fatores:
1) capacidade do aluno;
2) experiência do educando;
3) técnicas de emprego;
4) oportunidade de ser apresentado;
5) uso limitado, para não resultar em desinteresse.


Seleção, adaptação e confecção
Na educação especial de deficientes visuais, os recursos didáticos podem ser obtidos por uma das três seguintes formas:


Seleção
Dentre os recursos utilizados pelos alunos de visão normal, muitos podem ser aproveitados para os alunos cegos tais como se apresentam. É o caso dos sólidos geométricos, de alguns jogos e outros.


Adaptação
Há materiais que, mediante certas alterações, prestam-se para o ensino de alunos cegos e de visão subnormal. Neste caso estão os instrumentos de medir, como o metro, a balança, os mapas de encaixe, os jogos e outros.


Confecção
A elaboração de materiais simples, tanto quanto possível, deve ser feita com a participação do próprio aluno. É importante ressaltar que materiais de baixo custo ou de fácil obtenção podem ser freqüentemente empregados, como: palitos de fósforos, contas, chapinhas, barbantes, cartolinas, botões e outros.



Com relação ao uso, os recursos devem ser:
Fartos — para atender a vários alunos simultaneamente;
Variados — para despertar sempre o interesse da criança, possibilitando diversidade de experiências;
Significativos — para atender aspectos da percepção tátil (significativo para o tato) e/ou da percepção visual, no caso de alunos de visão subnormal.



ATIVIDADE:


Caixinha Surpresa


Costumo trabalhar com caixas de diversos tamanhos e colocamos uma dentro da outra e dentro da última caixa tem sempre um objeto. A criança vai manusear bem a caixa, balançar para escutar.


Depois, faço perguntinhas: "faz barulho?", "é pesado ou leve?"...


Agora vamos tenter adivinhar: "O que é o que é..."


Podem abrir...eles tem que tentar abrir sozinhos uma caixa após a outra.


10 comentários:

rosilenerosilene disse...

Sou professora trabalho com especiasi cegos,surdos e leve retardo. Esse blogger é muito rico em cultura e principalmente em educação, muito bommmmmmmmmmmmmmmm.

Anônimo disse...

Ola rosilene! adorei sua de atividade para trabalhar com aluno cego, sou professora e estou atuando na sala multifuncional, com alunos de varias deficiencias e em especial o cego no qual senti mas dificuldades, gostaria se possivel vc me enviar mas dicas de atividades. obrigado.

mikaelle disse...

olá!camila,sou professora do programa o TOPA a dois anos ,me sinto perdida porque nunca trabalhei com aluno que tivesse deficiencia visual.esta sendo dificil ,mas eu chegarei lá com a ajuda do bom DEUS!

Anônimo disse...

Olá,achei muito interessante seu trabalho.Porém gostaria de saber,se pode sugerir alguma atividade com deficintes visuais idosos além de conversas,leituras...Parabéns pelo seu trabalho e desde já,obrigada.

Anônimo disse...

Olá, adorei visitar você, pois achei muito interessante sua sugestão de atividade gostaria de receber mais, pois sou prof. e recebi este ano, ou melhor agora em junho uma aluna cega e esta sendo muito difícil o trabalho (ela tem apenas 3anos),não tenho nenhum conhecimento dentro da área, estou fazendo o que posso junto com a direção e a SMEC,mas o que esta me agoniando é as identificações do local como banheiro,menino(a),...como símbolos oficiais pois ela recém esta começando a construção e formação do pensamento.Desde já fico agradecida pela sua ajuda e parabéns pelo seu trabalho q é magnifico, obrigada.

Alexandrect06 disse...

Oi Rosilene, adorei as suas dicas. Eu estou com um problema serio, pois minha irma esta perdendo a visão ela e mais velha do que eu, e nao sei como ajuda-la. Se possivel me envie dicas de atividades e de adpatação para esse email xaropealex@hotmail.com

Desde de ja obrigado.
ass.: Alexandre.

Anônimo disse...

Gostei dessa sugestão. Você possui mais ideias para trabalhar com alunos cegos e baixa visão ,pois vou ter esses dois alunos no terceiro ano.
ABRAÇOS!!!!

Ely disse...

Olá Sou Ely trabalho com cego e estou com muitas dúvidas em relação a que tipo de atividade trabalhar com ele porque não apresenta interesse em aprender o BRAILLE, entao gostaria de uma sugestão, se possível... Aguardo retorno. Até mais, Ely

Vera disse...

Oi! Tem indicações de bibliografia, dicas para autistas cegos?
Meu email e verabyel@gmail.com
Obrigada
Vera

Patrícia Amorim Oliveira disse...

Olá Camila. Sou profesora de ed. infantil e vou encarar o desafio de ensinar uma turma de MGII com 25 alunos,sendo um deles especial com apenas 2% de sua capacidd visual.Suas sugestões já me foram de grande valia e estarei sempre por aqui.Muito obrigada! Patrícia.